24
Visualizações
Acesso aberto Revisado por pares
Artigo de Revisao

Diagnósticos de enfermagem em pacientes hospitalizados com queimaduras: Revisão integrativa

Nursing diagnoses in hospitalized patients with burns: An integrative review

Mariana de Lima Mansores1; Adriana Souza Szpalher2; Priscilla Alfradique de-Souza3; Alcione Matos de Abreu4

RESUMO

OBJETIVO: Identificar os diagnósticos de enfermagem da taxonomia NANDA-I para pacientes queimados hospitalizados, por meio de revisão integrativa da literatura.
MÉTODO: Trata-se de uma revisão integrativa, realizada nas bases de dados: Literatura Latino-Americana em Ciências de Saúde, Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature e no portal PubMed, no período de 1 a 31 de maio de 2020, utilizando os descritores: unidade de queimados/burn units, diagnósticos de enfermagem/nursing diagnosis, enfermagem/nursing e processo de enfermagem/nursing process.
RESULTADOS: Foram encontrados 997 artigos. Após os procedimentos de seleção de inclusão e exclusão conforme normas do PRISMA, foram selecionados 5 estudos na avaliação quantitativa. Os diagnósticos de enfermagem mais comuns entre os estudos foram: “Risco de infecção”, “dor aguda”, estes em 5 estudos, e “ansiedade” em 4 estudos, com predomínio dos domínios presentes na Taxonomia de Diagnósticos de Enfermagem da NANDA-I 2018-2020: “Segurança/proteção”, “Atividade/repouso”, “Conforto”, “Nutrição” e “Enfrentamento/tolerância ao estresse”.
CONCLUSÃO: Embora exista escassez de artigos sobre a temática, foram identificados diag­nósticos de enfermagem aplicados ao paciente queimado. Essa identificação torna-se de suma importância para o planejamento, prescrição e implementação dos cuidados a serem adotados para as vítimas de queimaduras para proposição de um cuidado integral. Percebe-se, assim, a necessidade em abordar de forma mais intensa o Processo de Enfermagem para este perfil de cliente.

Palavras-chave: Diagnóstico de Enfermagem. Unidades de Queimados. Queimaduras. Enfermagem. Terminologia Padronizada em Enfermagem.

ABSTRACT

OBJECTIVE: To identify the nursing diagnoses of the NANDA-I taxonomy for hospitalized burn patients, through an integrative literature review.
METHODS: This is an integrative review on the databases: Latin American Literature in Health Sciences, Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature and on the PubMed portal, from May 1-31 2020, using the descriptors: burn units, nursing diagnosis, nursing and nursing process.
RESULTS: 997 articles were found. After the inclusion and exclusion selection procedures according to PRISMA standards, 5 studies were selected in the quantitative assessment. The most com­mon nursing diagnoses among the studies were: “acute pain” and “risk of infection” in 5 articles, “anxiety” in 4 articles. The domains present in the NANDA-I Nursing Diagnostic Taxonomy 2018-2020 predominated in the diagnoses identified: “Safety / protection”, “Activity / rest”, “Comfort”, “Nutrition” and “Coping / stress tolerance”.
CONCLUSION: Although there is a shortage of articles on the subject, nursing diagnoses applied to the burned patient were identified. This identification becomes extremely important for the planning, prescription and implementation of the care to be adopted for burn victims in order to propose comprehensive care. Thus, there is a need to approach the Nursing Process more intensively for this client profile.

Keywords: Nursing Diagnosis. Burn Units. Burns. Nursing. Standardized Nursing Terminology.

INTRODUÇÃO

As queimaduras, definidas como lesões decorrentes de agentes (tais como a energia térmica, química ou elétrica) capazes de produzir calor excessivo que danifica os tecidos corporais e acarreta a morte celular, são um problema de saúde pública1. Estima-se que ocorrem em torno de 1.000.000 de incidentes por queimaduras ao ano no Brasil, dos quais 100.000 pacientes buscaram atendimento hospitalar e, destes, cerca de 2.500 irão a óbito direta ou indiretamente em função de suas lesões2.

Conforme os Dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), de janeiro de 2017 a fevereiro de 2020 houve 82.963 internações provenientes de queimaduras. No período, na Região Sudeste, São Paulo é o estado que apresenta o maior número de ocorrências, com 14.286 casos, seguido de Minas Gerais, com 7.936 casos3.

Quando o indivíduo está insatisfeito com sua imagem corporal, a capacidade laboral e o retorno às atividades de trabalho podem ser prejudicadas. Sua insatisfação e dificuldade em realizar as tarefas de rotina por conta da imagem alterada podem provocar sensações negativas sobre a qualidade de vida. Logo, o apoio emocional, afetivo e material oferecidos pela família e pelos amigos são uma influência positiva e direta na reabilitação da vítima de queimadura4,5.

Neste aspecto, os cuidados hospitalar e de enfermagem se fazem importantes da adaptação, tratamento e cura destes indivíduos. No sentido de padronizar a linguagem e a comunicação na equipe de enfermagem, os Diagnósticos de Enfermagem (DE) da NANDA-I são elaborados por meio de um sistema multiaxial que consiste em sete eixos, nos quais os componentes são combinados para tornar estes DE coerentes. Os eixos se referem a dimensões da resposta humana a ser considerada no processo diagnóstico. A 11ª edição da taxonomia da NANDA-I (2018-2020) classifica, padroniza e categoriza os focos diagnósticos em domínios e classes. São considerados esferas de conhecimento, ou seja, níveis de classificação que dividem o fenômeno em grupos principais6.

Seus indicadores ou constituintes diagnósticos, presentes na edição citada, são: 1- título: problemas, potencialidade ou risco identificado no indivíduo ou grupo; 2- Característica definidora: manifestações do DE com foco no problema ou na síndrome; 3- Fatores de risco: fatores ambientais, elementos fisiológicos, psicológicos, químicos e/ou genéticos; 4- Fator relacionado: são os contribuintes que interferem na resposta da pessoa ao seu problema de saúde. São os fatores etiológicos; 5- População de risco: pessoas que apresentam as mesmas características que as torna suscetíveis a um problema ou risco de saúde; estes não são modificáveis pelos enfermeiros ou equipe de enfermagem; 6- Condições associadas: diagnósticos médicos, lesões, procedimentos, dispositivos médicos ou medicamentos. Os DE, bem como seus constituintes, são continuamente revisados e, por vezes, eliminados ou substituídos, promovendo, assim, a melhora dos indicadores diagnósticos com vistas a fornecer um bom suporte diagnóstico que seja clinicamente útil6.

Para que esse cuidado se dê de modo único, porém equânime, dispomos da resolução COFEN 358, de 20097 que dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) e o Processo de Enfermagem (PE), que tem por base um suporte teórico e deve ser aplicado em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de Enfermagem, tem-se que:

"Sistematização da Assistência de Enfermagem organiza o trabalho profissional quanto ao método, pessoal e instrumentos, tornando possível a operacionalização do Processo de Enfermagem; e processo de Enfermagem é um instrumento metodológico que orienta o cuidado profissional de Enfermagem e a documentação da prática profissional"7.

Para que o enfermeiro possa ter acurácia no DE, é necessário que a primeira etapa do processo - coleta de dados - seja realizada com olhar profundo, questionador e aplicado para a obtenção de informações sobre a pessoa, família ou coletividade, e sobre suas respostas apresentadas no processo saúde e doença. Assim, é necessário identificar os problemas de enfermagem, definidos como: situação enfrentada pelo paciente ou família e para cuja solução o enfermeiro possa ajudar através do desempenho de suas funções profissionais7. Ao analisar estes problemas, é possível chegar ao desfecho do DE8.

Assim como para qualquer paciente, para a vítima de queimaduras essas etapas são fundamentais para um tratamento equânime e que supra as necessidades terapêuticas. Assim9, apenas um dado não é o bastante para que se possa fechar um diagnóstico com precisão. É necessário conhecer os indicadores clínicos capazes de proporcionar maior indicação para certo diagnóstico, pois isto faz com que o enfermeiro tenha escolhas objetivas e direcione suas intervenções para obter maiores resultados.

Uma coleta de dados bem realizada proporcionará as informações necessárias para que o diagnóstico seja feito de maneira correta e precisa, ocasionando assim um planejamento de intervenções adequado.

Nesse contexto, é preciso que o enfermeiro considere sempre a dor do paciente, compreenda as diferenças culturais, e não imponha crenças e valores em sua conduta profissional, devendo também estar aberto para adoção de novas formas de enfrentamento e participação em grupos de discussão que constituam um momento de educação continuada da equipe.

O enfermeiro é parte crucial no tratamento dos pacientes queimados, possuindo pensamento crítico que contribua com as demandas apresentadas, promovendo a decisão clínica e tomando medidas para atender os pacientes. É primordial que a equipe de enfermagem procure atualizações acerca desta prática, além de estabelecer comunicação efetiva e direta com seus assistidos10. Assim, é necessário priorizar as ações que requerem urgência buscando, assim, construir a assistência que melhor se adeque ao caso.

Os DE são primordiais para averiguar as necessidades do paciente e planejar a assistência; são um veículo de articulação da enfermagem às demais profissões da saúde. Assim, a utilização de uma taxonomia única e com aplicabilidade em sistemas informatizados auxilia a melhoria da assistência, dada a comunicação da prática e a definição das perspectivas da profissão em relação ao cuidado. A pretensão deste sistema de apoio à decisão é agilizar, padronizar e efetivar a prática PE com o emprego dos DE segundo a taxonomia da NANDA International (NANDA-I)5,11.

É importante o desenvolvimento de tal estudo, pois existe uma lacuna no conhecimento acerca desta temática. O estudo pode contribuir para a melhora da prática clínica no que tange o paciente queimado, pois busca evidenciar os diagnósticos que se aplicam a este sujeito. Quando se realiza o DE correto, é possível promover o tratamento correto, elevando a qualidade da assistência e promovendo maior segurança na execução das atividades.

Este estudo tem como motivação a lacuna de conhecimento acerca da utilização dos DE da última versão da NANDA-I - 11ª edição de 2018-2020, visto que tal taxonomia é constantemente atualizada em todas as suas edições, tendo diversos DE excluídos e modificados, não atendendo, assim, o público ou grupo que atendia em anos anteriores. Diante do exposto, faz-se necessário abordar a temática utilizando taxonomias sempre atualizadas, com vistas a usufruir destes novos conhecimentos no PE do indivíduo. Assim, este estudo justifica-se pelo "gap" mencionado na literatura nacional e internacional.

O objeto de estudo é o DE da taxonomia NANDA-I 2018-2020 identificados no paciente adulto queimado em internação hospitalar por conta de queimaduras. Este estudo tem como objetivo geral identificar os diagnósticos de enfermagem da taxonomia NANDA-I 2018-2020 em pacientes queimados hospitalizados, por meio de revisão integrativa da literatura.


MÉTODO

Trata-se de uma revisão integrativa, método que permite o estudo de objetos encontrados na literatura de maneira ampla e sistemática. Possui os mesmos padrões de rigor, clareza e replicação utilizados em estudos primários, além de constituir-se a mais ampla abordagem metodológica referente às revisões de literatura. A revisão integrativa consiste no cumprimento das etapas: identificação do tema e/ou finalidade; definição do tema/assunto; discussão de métodos de pesquisa; análise crítica; síntese, que surge da análise; raciocínio lógico e conceitual; e implicações para pesquisas futuras, este último sendo útil para outros pesquisadores e para a comunidade científica no geral12.

Dessa forma, a questão norteadora do estudo é: quais são os diagnósticos de enfermagem da taxonomia NANDA-I 2018-2020 identificados em adultos queimados hospitalizados?

A coleta de dados ocorreu entre os dias 1 e 31 de maio de 2020, por meio do portal PubMed, nas bases de dados: Literatura Latino-Americana em Ciências de Saúde (LILACS), Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature (CINAHL) e outras fontes de dados - Google Scholar e Google acesso livre. Foram utilizados os Descritores em Ciências da Saúde (DeCS): unidade de queimados/burn units, diagnósticos de enfermagem/nursing diagnosis, enfermagem/nursing e processo de enfermagem/nursing process; e com o emprego dos operadores booleanos AND e OR para realizar os cruzamentos em combinação.

A coleta de dados foi realizada em duas etapas: a primeira consistiu na busca avançada, e foram usadas as expressões: (unidade de queimados OR Burn Units) AND (diagnósticos de enfermagem OR Nursing Diagnosis), (unidade de queimados OR Burn Units) AND (processo de enfermagem OR Nursing Process), (unidade de queimados OR Burn Units) AND (enfermagem OR nursing OR processo de enfermagem), obtendo como retorno o quantitativo dos artigos: LILACS, 221; CINAHL, 26; PubMed, 747; e três estudos identificados nas fontes de dados Google Scholar e Google acesso livre. Esta busca totalizou 997 estudos.

Os critérios de inclusão foram: artigos publicados na íntegra; artigos disponíveis eletronicamente em português, inglês e/ou espanhol; artigos que tratem de diagnósticos de enfermagem da taxonomia da NANDA-I em pacientes adultos queimados hospitalizados. O limite temporal foi de 10 anos - entre 2010 e 2020, sendo escolhido para identificar as mudanças nos DE utilizados ao longo deste período. Os critérios de exclusão foram: editoriais, cartas ao editor, dissertações, teses, relatos de experiência, estudos reflexivos.

Após o processo de seleção e identificação dos artigos que obedeceram aos critérios de inclusão, prévia leitura dos títulos e, posteriormente, dos resumos, foram selecionadas cinco publicações, sendo: uma da LILACS, uma da CINAHL e três de outras fontes de dados. Na segunda etapa, procedeu-se à leitura na íntegra. Após a releitura de cada artigo, um instrumento foi produzido com as seguintes informações: título, autores, periódico, país, idioma, ano de publicação, objetivos, metodologia, resultados da pesquisa e foi construído um fluxograma.

A seguir, é apresentado o Fluxograma 1, com a representação do procedimento de seleção e exclusão dos estudos realizados. A confecção deste fluxograma teve como referência o modelo PRISMA (Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses).


Fluxograma 1 - Fluxograma de seleção dos estudos.



RESULTADOS

Ao final, a revisão integrativa foi composta por cinco artigos, identificados em bases de dados internacionais, sendo uma delas com foco nas especialidades da enfermagem (CINAHL) e outra com abrangência na América Latina e Caribe (LILACS). Os cinco artigos foram publicados nas: Revista de enfermagem Espanhola Enfermería Global, periódico Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research (BJSCR), Revista Brasileira de Queimaduras, Revista Científica do Unisalesiano, e Revista de Enfermagem Nursing Open, disponíveis em português e este último em inglês.

Com relação ao ano de publicação, observou-se: dois artigos de 2010, um artigo de 2012, um artigo de 2019 e um de 2020, este último utilizou a NANDA-I 2018-2020. Quanto ao tipo de estudo, quatro artigos são revisão bibliográfica e um realizou adotou o método descritivo transversal.

Dos trabalhos analisados, quatro foram produzidos no Brasil e um no Irã, com publicações em revistas e periódicos nacionais e internacionais, com versões na língua inglesa, portuguesa e espanhola.

Os cinco artigos identificados para este estudo são abordados no Quadro 1, onde são apresentadas algumas das características. Entre os DE identificados, destacaram-se: "Risco de infecção", "dor aguda" e "ansiedade".




Conforme a taxonomia da NANDA-I 2018-20206, alguns DE identificados nos estudos foram reformulados/atualizados: dor - dor aguda (00132); integridade cutânea prejudicada - integridade da pele prejudicada (00046); distúrbio da autoimagem - distúrbio na imagem corporal (00118); risco de volume de líquidos prejudicado - risco de volume de líquidos deficiente (00028); perfusão tecidual periférica prejudicada - perfusão tissular periférica ineficaz (00204); enfrentamento individual ineficaz - enfrentamento ineficaz (00069); risco para trauma - risco de trauma físico (00038); déficit de volume de líquido - volume de líquidos deficiente (00027); risco para disfunção neurovascular - risco de disfunção neurovascular periférica (00086). O DE risco de quedas (00155) apresentou alterações nos seus "fatores de risco" e, na 11ª edição, apresenta o adulto (idoso) como população de risco. Os diagnósticos déficit de conhecimento sobre o cuidado domiciliar e necessidades de acompanhamento pós-alta não se encontram na 11ª edição da NANDA-I, data 2018-20206.

A Tabela 1 exibe os DE presentes na Taxonomia da NANDA-I separados por domínios. São apresentados os estudos nos quais tais DE estão presentes, o total de estudos que identificaram estes DE e o total de DE identificados.




É possível observar que há presença de DE reais (instalados) e potenciais (de risco), concluindo, assim, que, além de DE presentes no indivíduo, há possibilidade de estarem presentes fatores de risco para o desenvolvimento de outros DE.


DISCUSSÃO

Dos artigos analisados, dois apresentaram estatísticas de vítimas de queimaduras, em que o sexo masculino foi apontado como o prevalente entre os pacientes queimados internados13,14. Alguns dos DE que obtiveram maior quantidade de menções nos artigos selecionados estão relacionados aos Domínios 11: Segurança/Proteção, 12: Conforto, e 04: Atividade/Repouso15-17 da NANDA-I 2018-2020. Os DE mais mencionados foram: dor aguda, risco de infecção, integridade da pele prejudicada, volume de líquidos deficiente; os dois primeiros foram identificados em todos os artigos. Em contrapartida, os menos mencionados estão presentes em todos os Domínios, com exceção de "Nutrição"13-17.

Observa-se que o cuidado com pacientes vítimas de queimaduras ainda é muito centrado na lesão. O paciente queimado em geral sofre de intensa dor e forte impacto emocional. A dor provocada pela queimadura é entendida como física e emocional pelos enfermeiros que prestam assistência às vítimas de queimaduras; percebem que o momento da realização do banho e do curativo são os que provocam maior estresse, tanto para eles quanto para os pacientes5.

A presença do sexo masculino como prevalente entre os pacientes queimados internados tem como justificativa a relação das diferenças comportamentais, as quais levam este público, consequentemente, a estar mais exposto às atividades e situações de risco18.

Nos estudos analisados, a população se caracteriza em sua maioria por queimados em condições mais graves. Outra característica identificada é a importância da aplicação do PE, para que o enfermeiro possa desempenhar o seu papel, com vistas a prestar ao paciente uma assistência de maior qualidade.

Todos os artigos concordam no que tange à atuação do enfermeiro como questão imprescindível para a evolução clínica. Esta importância está pautada no fato do enfermeiro ser o responsável por desenvolver assistência integral ao paciente e por promover a comunicação entre a equipe multiprofissional que planeja e toma decisões acerca da assistência.

Além disto, o enfermeiro realiza seu cuidado de forma contínua no tratamento e na reabilitação, desenvolve ações de educação em saúde e auxilia o paciente em seu processo de autonomia e reinserção na sociedade. Assim, para ter um embasamento teórico e prático do cuidado ao paciente queimado, são necessárias atualizações acerca de conteúdos que sustentem a prática13-17,19.

Assim, para além do cuidado e atenção prestados à lesão decorrente da queimadura, é necessário que o enfermeiro conheça também os demais elementos envolvidos nesta situação, como o lugar onde aconteceu o acidente, o agente que o provocou e as partes do corpo expostas5,20.

Outros artigos21 estudaram o distúrbio da imagem corporal, em que 41% dos pacientes estavam insatisfeitos com sua imagem corporal após a queimadura. Contudo, a preocupação não fica restrita somente na autopercepção, mas também em como as outras pessoas perceberão sua aparência. Essa percepção da imagem corporal pode estar relacionada à dificuldade de inserção do indivíduo no convívio social, influenciando também na autoaceitação. Assim, é importante ater-se ao quadro psicossocial destes pacientes.

A SAE é realizada pelo enfermeiro e recebe atuação da equipe de enfermagem. Nesse sentido, merece destaque o artigo 11 da lei n° 7.498, de 198622, que dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem, versa a respeito dos cuidados diretos de enfermagem a pacientes graves com risco de vida, e aos cuidados de enfermagem de maior complexidade técnica e que exijam conhecimentos de base científica e capacidade de tomar decisões imediatas, visto que o paciente queimado é um paciente grave e que requer cuidados complexos.

Assim, esta revisão de literatura prioriza destacar a importância de se utilizar uma taxonomia padronizada nos DE, que permite uma comunicação objetiva entre os membros da equipe.

Almeida & Santos11 ratificam que o cuidado de enfermagem necessita ocorrer de maneira atenta e holística, que tem como pressuposto cuidar do sujeito de forma integral, observando como um todo, atentando-se à lesão e a todos os fatores que podem provocar agravamento no quadro clínico do paciente, tendo como consequência o óbito. A abordagem deve promover maior eficiência na identificação dos Diagnósticos de Enfermagem (DE) e intervenções específicas.

Ao enfermeiro cabe sua representação fundamental de educador e de compreender o processo que norteia a queimadura, visando promover uma boa recuperação da saúde ao queimado. Outro aspecto é que a vítima de queimadura está propensa a passar por alterações funcionais, emocionais e sistêmicas que impactam negativamente as relações sociais e de trabalho, e, por consequência, a qualidade de vida. Estes indivíduos entendem que "boa qualidade de vida" está associada à ideia de voltar ao "normal", ou seja, de continuar desenvolvendo seu papel na família e na sociedade2.

Tem-se, desta forma, que o estudo teve seu objetivo atingido, pois por meio da revisão proposta foram identificados 29 DE da NANDA-I presentes em pacientes queimados hospitalizados.


CONCLUSÃO

A identificação dos DE é de suma importância para o planejamento e implementação dos cuidados a serem adotados com os pacientes hospitalizados vítimas de queimaduras. Portanto, a partir da identificação dos DE corretos, é possível realizar um planejamento específico e adequado às necessidades individuais, promover melhor assistência e, por consequência, uma melhor recuperação do paciente.

Há reduzido número de estudos atuais sobre DE atualizados para o perfil de paciente aqui abordado. Desta forma, verifica-se a necessidade de desenvolver estudos atualizados para identificar as intervenções de enfermagem e, desta maneira, poder definir os resultados esperados por meio do cuidado dentro do PE completo. Nesse sentido, a realização de estudos de campo, com a proximidade ao paciente, enriquecerá o trabalho realizado.

Como limitação deste estudo, ressalta-se a dificuldade de se encontrar artigos relacionados à temática, mesmo a taxonomia escolhida sendo uma das mais adotadas em todo o mundo, e fortemente utilizada no Brasil, tendo, inclusive, sua edição traduzida para a língua portuguesa do Brasil.


PRINCIPAIS CONTRIBUIÇÕES

A partir desta revisão, foi possível identificar as ações do enfermeiro no cuidado ao paciente queimado, que consistem em avaliar as necessidades e, desta forma, planejar e promover ações com o objetivo de melhorar a qualidade de vida e as condições de saúde do indivíduo.

Além disso, enfatiza-se a necessidade de conhecimento específico do enfermeiro para o cuidado do paciente queimado e apresenta-se a taxonomia da NANDA-I como proposição para uniformização da linguagem dos Diagnósticos de Enfermagem,, permitindo melhor assistência e comunicação objetiva entre os profissionais. Assim, espera-se, com este estudo, contribuir para divulgação do PE como instrumento metodológico e aplicação dos conhecimentos técnico-científicos na prática assistencial, além de estimular e fomentar o uso cada vez mais intenso das taxonomias próprias da Enfermagem.


REFERÊNCIAS

1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada. Cartilha para Tratamento de Emergência das Queimaduras. Série F. Bra­sília: Ministério da Saúde; 2012.

2. Brasil. Ministério da Saúde. Queimados [Acesso 2020 Maio 30]. Disponível em: https://www.saude.gov.br/component/content/article/842-queimados/40990

3. Brasil. Ministério da Saúde. DATASUS. Informações de Saúde, Epidemiológicas e Mor­bidade: banco de dados [Acesso 2020 Maio 30]. Disponível em: http://tabnet.datasus. gov.br/cgi/tabcgi.exe?sih/cnv/niuf.def

4. Moraes LP, Echevarría-Guanilo ME, Martins CL, Longaray TM, Nascimento L, Braz DL, et al. Apoio social e qualidade de vida na perspectiva de pessoas que sofreram queima­duras. Rev Bras Queimaduras. 2016;15(3):142-7.

5. Lima OBA, Arruda AJCG, Carvalho GDA, Melo VC, Silva AF. A Enfermagem e o cuidado à vítima de queimaduras: revisão integrativa. Ver Enferm UFPE On Line. 2013;7(7):4944-50.

6. Herdman TH, Kamitsuru S. Diagnósticos de enfermagem da NANDA Internacional: definições e classificação 2018-2020. 11ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2018.

7. Brasil. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução COFEN-358/2009, de 15 de ou­tubro de 2009. Brasília: Conselho Federal de Enfermagem; 2009 [Acesso 2020 Maio 30]. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html

8. Butcher HK, Bulechek GM, Dochterman JM, Wagner CM. Nursing Interventions Clas­sification (NIC). 7th ed. St. Louis: Elsevier; 2018.

9. Silva RA, Melo GAA, Caetano JA, Lopes MVO, Butcher HK, Silva VM. Acurácia do diag­nóstico de enfermagem “disposição para melhora da esperança” em pacientes renais crônicos. Rev Gaúcha Enferm. 2017;38(2):e65768.

10. Lotfi M, Zamanzadeh V, Valizadeh L, Khajehgoodari M. Assessment of nurse-patient com­munication and patient satisfaction from nursing care. Nurs Open. 2019;6(3):1189-96.

11. Almeida JWF, Santos JN. Assistência de enfermagem em grupos de riscos a queimadu­ra. Rev Bras Queimaduras. 2013;12(2):71-6.

12. Torraco RJ. Writing Integrative Reviews of the Literature: Methods and Purposes. Int J Adult Educ Technol. 2016;7(3):62-70.

13. Souza FSL, Santos MJ, Valle NSB, Souza IM. Abordagem de enfermagem ao paciente vítima de queimaduras: Uma revisão integrativa. Braz J Surg Clin Res. 2019;27(2):134-41.

14. Khajehgoodari M, Lotfi M, Zamanzadeh V, Valizadeh L, Khalilzad P. Nursing diagnosis identification by nurses in burn wards: A descriptive cross-sectional study. Nurs Open. 2020;7(4):980-7.

15. Silva RMA, Castilhos APL. A identificação de diagnósticos de enfermagem em paciente considerado grande queimado: um facilitador para implementação das ações de enfer­magem. Rev Bras Queimaduras. 2010;9(2):60-5.

16. Teixeira CC, Almeida AW. Sistematização da Assistência de Enfermagem ao Paciente Queimado. Universitári@ Rev Cient Unisalesiano. 2012;3(6):49-58.

17. Barichello E, Vieira SMC, Barbosa MH, Hemiko IH. Diagnósticos de enfermagem em pacientes internados por queimadura. Enferm Glob. 2010;20.

18. Barbosa GS, Oliveira DMS, Araújo LA, Carneiro SR, Rocha LSO. Características clí­nicas e fatores associados aos óbitos de queimados em um Centro de Referência de Ananindeua-PA. Rev Bras Queimaduras. 2016;15(2):104-9.

19. Pinho FM, Sell BT, Sell CT, Senna CVA, Martins T, Foneca ES, et al. Cuidado de enfer­magem ao paciente queimado adulto: uma revisão integrativa. Rev Bras Queimaduras. 2017;16(3):181-7.

20. Ferreira AM, Rocha EN, Lopes CT, Bachion MM, Lopes JL, Barros ALBL. Diagnósticos de enfermagem em terapia intensiva: mapeamento cruzado e Taxonomia da NANDA-I. Rev Bras Enferm. 2016;69(2):285-93.

21. Aiquoc KM, Dantas DV, Dantas RAN, Costa IB, Oliveira SP, Lima KRB, et al. Avaliação da satisfação com a imagem corporal dos pacientes queimados. Rev Enferm UFPE On Line. 2019;13(4):952-9.

22. Brasil. Conselho Federal de Enfermagem (Brasília - DF). Lei n° 7.498/86, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem. Brasília: Conselho Federal de Enfermagem; 1986 [Acesso 2020 Maio 30].









Recebido em 7 de Agosto de 2020.
Aceito em 20 de Outubro de 2020.

Local de realização do trabalho: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Conflito de interesses: Os autores declaram não haver


© 2021 Todos os Direitos Reservados