15
Visualizações
Acesso aberto Revisado por pares
Artigo Especial

Campanha on-line de prevenção de queimaduras: Uma alternativa em tempos de pandemia

On-line campaign on burn prevention: An alternative in pandemic times

Elisangela Flauzino Zampar1; Giovana Alves Santos2; Ana Luisa Camilo Sversutti3; Flávia Gagliano Guergoleti4; Rosangela Aparecida Pimenta-Ferrari5; Danielly Negrão Guassú Nogueira6

RESUMO

OBJETIVO: Relatar a experiência da equipe multiprofissional de um centro de tratamento de queimados quanto à realização da campanha on-line sobre prevenção de queimaduras em tempos de pandemia da COVID-19.
MÉTODO: Foram realizadas reuniões com equipe multiprofissional envolvendo profissionais de saúde e da comunicação do hospital, e definidas as estratégias utilizadas na campanha de prevenção de queimaduras voltados para o público infantil, que foram a produção de lives, vídeos com temas de prevenção de queimaduras e concurso de desenho para crianças em redes sociais oficiais do serviço de saúde.
RESULTADOS: As produções da campanha de prevenção de queimaduras obtiveram interações nas redes sociais, com destaque para o concurso de desenho para crianças realizado na rede social Facebook®, no qual o desenho vencedor contou com 362 reações, 78 comentários e 25 compartilhamentos.
CONCLUSÃO: O uso de redes sociais é uma alternativa para campanhas de prevenção. Devido ao resultado obtido, pretende-se manter em futuras campanhas as estratégias de divulgação envolvendo as redes sociais e também presenciais como as de tradição do serviço de saúde.

Palavras-chave: Queimaduras. Prevenção de Acidentes. Redes Sociais. COVID-19.

ABSTRACT

OBJECTIVE: To report the experience of the multidisciplinary team of a burn treatment center regarding the realization of the on-line campaign on burn prevention in times of COVID-19 pandemic.
METHODS: Meetings were held with the multiprofessional team health providers and communication professionals from the hospital, the strategies used in the burn prevention campaign aimed at child were defined, which were the making of lives, videos on burn prevention themes and a competition for drawing for children in official social networks of the health service.
RESULTS: The productions of the burn prevention campaign had interactions on social networks, with emphasis on the drawing contest for children held on the social network Facebook®, in which the winning drawing had 362 reactions, 78 comments and 25 shares.
CONCLUSION: The use of social networks is an alternative to prevention campaigns. Due to the reach that has been demonstrated, dissemination strategies involving social and face-to-face networks will be maintained in future campaigns, such as those traditional in the health service.

Keywords: Burns. Accident Prevention. Social Networking. COVID-19.

INTRODUÇÃO

De acordo com a estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), as queimaduras são responsáveis por 180 mil mortes por ano, sendo a grande maioria nos países de baixa renda. Queimaduras não fatais são uma das principais causas de morbidade. Quanto aos locais de ocorrência de queimaduras, são principalmente no domicílio ou no local de trabalho1.

Queimaduras são lesões em tecido orgânico que podem ter causa térmica, química, radiações e elétricas. Dentre as causas térmicas, estão presentes contato com líquido superaquecido, chama direta e sólidos quentes2,3. Na infância as queimaduras representam um tipo de trauma grave, que pode deixar sequelas irreversíveis4.

De acordo com a Lei n° 12.026/2009, 6 de junho é o Dia Nacional de Luta contra Queimaduras5. Seguindo as recomendações da OMS1, o Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) do Hospital Universitário da Universidade Estadual de Londrina (HU/UEL) promove ações e campanhas nas comunidades e instituições sobre o tema, com a finalidade de sensibilizar a sociedade sobre as formas de prevenção de queimaduras e informar sobre suas graves consequências.

Entretanto, em março de 2020, o diretor-geral da OMS anunciou pandemia da COVID-19, causada pelo novo coronavírus (SARS-Cov-2)6, desencadeando uma série de medidas de prevenção contra a doença. Entre as medidas, podemos citar evitar circulação desnecessária, aglomeração e manter um distanciamento de cerca de dois metros entre uma pessoa e outra7.

A campanha proposta pela Sociedade Brasileira de Queimaduras de 2020 para a semana de prevenção de queimaduras teve como tema "Com fogo não se brinca - Junho Laranja"8 e não poderia deixar de ser executada. Salienta-se que, nos anos anteriores, as ações da campanha desenvolvidas pelo CTQ consistiam em panfletagem, eventos em áreas de grandes circulações, atividades envolvendo um grande número de pessoas. Entretanto, devido ao contexto com a pandemia da COVID-19, que no mês de junho de 2020 estava em plena ascensão no Brasil9,10, foi necessário adaptar a forma de operacionalizá-la. Visando atender às recomendações do Ministério da Saúde7, as atividades da semana de prevenção foram desenvolvidas na modalidade on-line utilizando as redes sociais oficiais do CTQ e HU/UEL.

Para tanto, este artigo teve como objetivo relatar a experiência da equipe multiprofissional quanto à realização da campanha online sobre prevenção de queimaduras em tempos de pandemia da COVID-19. Justifica-se a importância da sua realização considerando-se que o ambiente domiciliar é um dos locais de maior ocorrência deste agravo e, que neste período de isolamento social, pode-se tornar mais frequente, necessitando-se, assim, maior sensibilização da população para executar medidas preventivas.


MÉTODO

Foram realizadas reuniões com equipe multiprofissional envolvendo profissionais do CTQ e da comunicação do HU/UEL para a definição das ações que seriam utilizadas na campanha de prevenção de queimaduras. Nessas reuniões ficou definido o uso das redes sociais oficiais do serviço de saúde, sendo elas o Facebook® e Instagram®, para a divulgação e execução da campanha.

A preocupação em envolver tanto os profissionais de saúde quanto a equipe de comunicação do hospital foi para buscar estratégias entre as duas áreas para promover uma campanha que atingisse o público externo e interno do hospital, tendo um caráter participativo e não apenas de transmissão de informação.

Neste sentido, a equipe multiprofissional envolvida com a campanha de prevenção de queimaduras organizou uma programação on-line, que envolveu também familiares de pacientes internados e comunidade externa, com foco no público infantil.

Para a campanha do CTQ do HU/UEL "Com fogo não se brinca - Junho Laranja", foi organizada uma programação on-line nas páginas do Facebook® e Instagram® do HU/UEL, CTQ e também foi envolvida a rede social da Divisão de Educação e Pesquisa (DEPE) do hospital para transmissão de lives. A programação contou com vídeos de depoimentos de pacientes, vídeos sobre prevenção de queimaduras voltados para o público infantil em parceria com o grupo Plantão Sorriso11, lives (transmissões ao vivo feitas em redes sociais)12 para profissionais de saúde e concurso de desenho para crianças.

Inicialmente, foram publicados, no Facebook® e Instagram® do HU/UEL vídeos de lançamento da campanha de prevenção de queimaduras "Junho Laranja"8, produzido pela Divisão de Documentação Científica do HU/UEL.

Foi criada a página do Facebook® e Instagram® do CTQ do HU/UEL, lançada no dia 6 de junho de 2020 nas redes sociais do HU/UEL, com o objetivo de ser um espaço voltado para profissionais de saúde e público em geral interessado no tema de prevenção e tratamento de queimaduras. Anteriormente, as atividades do CTQ eram divulgadas somente nas páginas das redes sociais do HU/UEL.

Foi promovido concurso de desenho com o tema de prevenção de queimaduras. O objetivo foi despertar nas crianças, com até 10 anos de idade, a consciência dos perigos dos materiais inflamáveis e como prevenir a queimaduras e divulgar a prevenção. Elas puderam participar do concurso com mais de um desenho enviado em formato on-line, no período de 10 a 19 de junho de 2020. Posteriormente, disponibilizados em álbum na página do Facebook® do HU/ UEL para que pudesse concorrer a votação por meio das reações (curtidas) e aquele com maior número de reações até as 16h do dia 30 de junho de 2020 foi o vencedor. O prêmio consistiu em uma caixa de lápis de 24 cores, além do desenho ser a capa da página de Facebook® do CTQ.

Nos dias 10, 17 e 24 de junho de 2020 foram publicados nas redes sociais do CTQ e HU/UEL vídeos com depoimentos de familiares, pacientes e equipe de saúde sobre queimaduras e sua prevenção. Os temas destes vídeos foram queimaduras causadas por líquidos inflamáveis, acidentes com crianças e queimaduras por choques elétricos. Cabe colocar que os familiares e pacientes participaram de forma voluntária, foram seguidos os aspectos ético-legais durante todo o processo de elaboração, realização da campanha e que a instituição consentiu na realização das atividades descritas.

Com o objetivo de atingir e sensibilizar o público infantil foi realizada parceria com o grupo Plantão Sorriso11, um grupo pioneiro de palhaços no sul do Brasil que visita hospitais semanalmente na região norte do Paraná. Foram produzidos quatro vídeos voltados a este público com dicas para prevenção de acidentes de queimaduras: o primeiro "Segurança nas festas juninas"; o segundo "Cuidados ao soltar pipas"; o terceiro "Dicas gerais para evitar queimaduras" e; o quarto "Cuidados com o manuseio de álcool e fósforo". Todos divulgados nas redes sociais do HU/UEL e CTQ, respectivamente, nos dias 16, 23, 26 e 30 de junho de 2020.

Na rede social Instagram® do HU/UEL e da DEPE do HU/UEL foram transmitidos cinco lives de forma simultânea. Essas tinham caráter técnico e direcionadas para profissionais de saúde. Todas ministradas por membros da equipe do CTQ: em 22 de junho o tema foi "Tratamento cirúrgico do paciente queimado", ministrada por um médico cirurgião plástico; 23 de junho "Atendimento da fisioterapia no queimado; 24 de junho "Cuidando do paciente queimado em tempos de Covid-19", com médico cirurgião e assistente social, 25 de junho sobre o "Atendimento inicial do paciente queimado", com médica intensivista; em 26 de junho "Desamparo e organização subjetiva no paciente queimado" abordado por uma psicóloga.

O encerramento a campanha contou com o vídeo "Com fogo não se brinca - Junho Laranja" divulgado em 7 de julho, nas páginas de Facebook® e Instagram®, com a participação da direção do hospital agradecendo a equipe multiprofissional que operacionalizou a campanha.

Após o fim da campanha no dia 7 de julho, período de um mês, foram capturadas imagens das telas das publicações da campanha e, posteriormente, contabilizados os números de reações, likes e visualizações, incluídos em planilhas do programa Microsoft Excel® 2013 e apresentados os resultados em tabelas e em números.


RESULTADOS

As publicações da campanha de prevenção de queimaduras do CTQ do HU/UEL obtiveram interações nas redes sociais, com destaque para o concurso de desenho para crianças.

A Tabela 1 apresenta os resultados com os números de reações, comentários e compartilhamentos das publicações de divulgação da companha de prevenção de queimaduras, bem como os vídeos da companha de prevenção de queimaduras no Facebook® do HU/ UEL e CTQ.




O número de interações nas páginas do HU/UEL foi superior ao número de interações na página do CTQ. O vídeo com maior número de reações contou com 329 reações; foi o vídeo de abertura da campanha, publicado na página do Facebook® do HU/UEL. Os vídeos sobre prevenção de queimaduras com o Plantão Sorriso obtiveram o maior número de reações na página do Facebook® do CTQ.

O concurso do desenho realizado no Facebook® do HU/UEL teve a participação de 13 crianças, as quais enviaram ao total 17 desenhos. O desenho vencedor contou com 362 reações, 78 comentários e 25 compartilhamentos (Tabela 2). Isso nos mostra que um grande número de pessoas visualizou alguns dos conteúdos da campanha e interagiu com a página do Facebook®.




Como se pode observar na Tabela 3, na página do Instagram® do HU/UEL as publicações com as divulgações das lives obtiveram 111 likes. O vídeo com maior número de visualizações no Instagram® do HU/UEL foi o vídeo de abertura, com 362 visualizações, logo em seguida o vídeo do Plantão Sorriso, com 111 visualizações. No Instagram® do CTQ os vídeos com maior número de visualizações foram os vídeos do Plantão Sorriso.




Por problemas técnicos a live sobre "Tratamento cirúrgico do paciente queimado" foi transmitida somente na página do Instagram® da DEPE e a live sobre o "Atendimento da fisioterapia no queimado" na página do Instagram® do HU/UEL.


DISCUSSÃO

Diante do contexto da pandemia de COVID-19, a opção foi pela utilização das páginas institucionais do hospital nas redes sociais Facebook® e Instagram®, pois são ferramentas de comunicação mediadas pela Internet e aparelhos que possibilitem seu acesso. Fazem parte da realidade de uma grande parte da população e permitem interação e publicização13.

Quando se compara o alcance entre as páginas do HU/UEL e CTQ, percebe-se que a última obteve números inferiores de interações, porém algo previsto, pois as páginas do CTQ foram criadas no primeiro dia da campanha, enquanto a página de Facebook® do HU/UEL já contava com maior número de seguidores e seu Instagram® com aproximadamente 1000 seguidores.

Na visão da equipe multiprofissional que coordenou a campanha é importante ressaltar duas ações que foram consideradas de maior sucesso: o concurso de desenho para crianças e as lives para profissionais de saúde.

O concurso de desenho para crianças até 10 anos foi a forma que os coordenadores encontraram de envolver o público infantil. É imprescindível educar as crianças para a prevenção de queimaduras, uma vez que os atendimentos envolvendo este público representam uma grande porcentagem4.

Foram recebidos 17 desenhos e participaram 13 crianças. Apesar do número não parecer expressivo a princípio, como o vencedor seria o desenho mais curtido na página do Facebook® do HU/UEL, houve um grande engajamento envolvendo os pais, familiares e conhecidos das crianças participantes. As lives para profissionais transmitidas simultaneamente no Instagram® do HU/UEL e da DEPE tiveram a participações dos ouvintes.

Houve problemas técnicos envolvendo a transmissão das lives. O primeiro diz respeito à conexão com a Internet, que em alguns dias esteve instável, fazendo com que a qualidade da imagem ficasse prejudicada e também a transmissão pausasse algumas vezes. Outra dificuldade foi com a produção das lives, uma vez que os equipamentos utilizados, como celular, tripé, fone, eram dos coordenadores. Foi a primeira vez que se realizou uma campanha de prevenção no formato on-line com lives e não havia experiência prévia. Em alguns momentos, a inexperiência ocasionou problemas técnicos com o som e posterior disponibilização dos vídeos. No entanto, as transmissões tiveram um número expressivo de visualizações e estão disponibilizadas no Instagram® do HU/UEL para profissionais e interessados no assunto sobre prevenção e tratamento de queimaduras, com conteúdo ministrado pelos especialistas do CTQ.

Outro estudo mostra a utilização de lives como forma de contribuição para a educação em saúde no período da pandemia, demonstrando que durante o processo de desenvolvimento das lives houve dificuldades devido à falta de conhecimento e prática sobre o manejo de tecnologias relacionadas à informática, estas foram contornadas devido ao suporte da equipe envolvida. Ressalta-se um crescente uso da Internet como uma forma de promover a educação em saúde. Os pesquisadores destacaram também que o público vulnerável sem acesso a rede de Internet fica sem o acesso às informações disponibilizadas de forma on-line14.


CONSIDERAÇÕES FINAIS

Redes sociais são ferramentas de comunicação que permitem uma forma de comunicação mais participativa, podem atingir um grande número de pessoas, pois uma parcela da população mantém perfis nessas redes sociais. É uma alternativa para campanhas que não contam com recurso financeiro elevado. Devido à pandemia mundial da COVID-19 no ano de 2020, as redes sociais se tornaram imprescindíveis nas estratégias comunicacionais das instituições, uma vez que medidas de prevenção e contenção da doença englobavam distanciamento e isolamento físico. Para futuras campanhas, serão mantidas as estratégias de divulgação envolvendo as redes sociais e presenciais como as de tradição do CTQ.


REFERÊNCIAS

1. World Health Organization (WHO). Burns. Geneva: WHO; 2018 [citado 2020 Jul 14]. Disponível em: https://www.who.int/en/news-room/fact-sheets/detail/burns

2. Dalla-Corte LM, Fleury BAG, Huang M, Adorno J, Modelli MES. Epidemiological profile of burning victims in a specialized unit in the Federal District of Brazil. Rev Bras Queimaduras. 2019;18(1):10-5.

3. Ferreira LLP, Gomes Neto JJ, Alves RA. Epidemiological profile of burn victims in the state of Bahia from 2009 to 2018. Rev Bras Queimaduras. 2019;18(1):33-8.

4. Santos TP, Sá SMP. Ocorrência de queimaduras em crianças em um centro de referência. Rev Baiana Saúde Pública. 2014;38(3).524-38.

5. Brasil. Lei Nº 12.026, de 9 de setembro de 2009. Institui o Dia Nacional de Luta contra Queimaduras. Brasília: Diário Oficial da União; 2009.

6. World Health Organization (WHO). WHO Director-General’s opening remarks at the media briefing on COVID-19 [Internet]. Geneva: WHO; 2020 [acesso 2020 Jul 14]. Disponível em: https://www.who.int/dg/speeches/detail/who-director-general-sopening-remarks-at-the-media-briefing-on-covid-19---11-march-2020

7. Brasil. Ministério da Saúde. Sobre a Doença. O que é Covid 19 [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2020 [acesso 2020 Jul 14]. Disponível em: https://coronavirus.saude.gov.br/sobre-a-doenca#como-se-proteger

8. Sociedade Brasileira de Queimaduras. 6 de Junho o Dia Nacional de Luta Contra Queimaduras [Internet]. Brasília: Sociedade Brasileira de Queimaduras; 2020 [acesso 2020 Jul 8]. Disponível em: http://sbqueimaduras.org.br/junho-laranja#:~:text=6%20de%20Junho%20o%20Dia,Nacional%20de%20Luta%20Contra%20Queimaduras%E2%80%9D

9. Brasil. Ministério da Saúde. Casos acumulados de COVID-19 por data de notificação [Internet] Brasília: Ministério da Saúde; 2020 [acesso 2020 Jul 17]. Disponível em: https://covid.saude.gov.br/

10. Brasil. Ministério da Saúde. Casos novos de COVID-19 por data de notificação [Internet] Brasília: Ministério da Saúde; 2020 [acesso 2020 Jul 17]. Disponível em: https://covid.saude.gov.br/

11. Plantão Sorriso [Internet]; 2020 [acesso 2020 Jul 17]. Disponível em: https://www.facebook.com/pg/plantao.sorriso/about/?ref=page_internal

12. TechTudo. O que é uma live? Saiba tudo sobre as transmissões ao vivo na Internet [Internet]; 2020 [acesso 2020 Jul 17]. Disponível em: https://www.techtudo.com.br/noticias/2020/03/o-que-e-uma-live-saiba-tudo-sobre-as-transmissoes-ao-vivo-nainternet.ghtml

13. Recuero R. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina; 2009.

14. Neves VNS, Machado CJS, Fialho LMF, Sabino RN. Utilização de lives como ferramenta de educação em saúde durante a pandemia pela COVID-19. Educ Soc. 2021;42:e240176. doi: https://doi.org/10.1590/ES.240176









Recebido em 22 de Setembro de 2020.
Aceito em 19 de Julho de 2021.

Local de realização do trabalho: Hospital Universitário da Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR, Brasil

Fonte de financiamento: Hospital Universitário da Universidade Estadual de Londrina

Conflito de interesses: Os autores declaram não haver


© 2021 Todos os Direitos Reservados