2304
Visualizações
Acesso aberto Revisado por pares
Artigo Original

Guideline das ações no cuidado de enfermagem ao paciente adulto queimado

Nursing care guideline actions in burnt adult patients

Fabiana Minati de Pinho1; Lúcia Nazareth Amante2; Nádia Chiodelli Salum3; Renata da Silva4; Tatiana Martins5

RESUMO

OBJETIVO: Elaborar um guideline para o cuidado de enfermagem ao paciente adulto queimado a partir das açoes de enfermagem identificadas pelos enfermeiros e respaldadas na literatura científica atual.
MÉTODO: Para a elaboraçao do guideline, foram utilizadas duas estratégias: a primeira foi um estudo de abordagem qualitativa, que teve como método a Pesquisa Convergente Assistencial, realizada com enfermeiros que atuam na Emergência, Unidade de Terapia Intensiva, Centro Cirúrgico e uma Unidade de Internaçao Cirúrgica de um hospital universitário da regiao Sul do Brasil. A segunda estratégia se deu por meio de duas revisoes: literatura e integrativa, esta última realizada em sete bases de dados.
RESULTADOS: Para a coleta dos dados, foi utilizada a Entrevista e Discussao em Grupos.
CONCLUSAO: O guideline contemplou as açoes de cuidados de enfermagem relativos ao Contexto Assistencial, Educativo e Gerencial na Fase Imediata, Intermediária e Tardia, constituindo-se em uma ferramenta para a prática do cuidado da enfermagem ao paciente adulto queimado.

Palavras-chave: Enfermagem. Cuidados de Enfermagem. Queimaduras. Segurança do Paciente.

ABSTRACT

OBJECTIVE: To elaborate a nursing care guideline to burnt adult patients from nursing actions identified by nurses and supported by the current scientific literature.
METHODS: For the guideline development two strategies were used: the first one was a qualitative study that used a Convergent Care Research method, conducted with nurses from Emergency, Intensive Care Unit, Operating room and Surgery hospitalization units at University Hospital from the south of Brazil. The second strategy was performed by two reviews: literature and integrative, this last was performed in seven data bases.
RESULTS: To collect data was used Interview and group Discussion.
CONCLUSION: The guideline template nursing care actions related to assistant context, educative and management in initial, intermediate and posterior phase, constituting a tool for nursing care practice to burnt adult patients.

Keywords: Nursing. Nursing Care. Burns. Patient Safety.

INTRODUÇAO

O trauma que apresenta consequências mais devastadoras ao ser humano é o relacionado aos acidentes por queimaduras, pois desencadeia respostas metabólicas intensas, que podem afetar todos os órgaos e sistemas. Produzem danos imediatos, gerando sofrimento, deixando sequelas físicas e emocionais tanto ao paciente queimado quanto aos seus familiares1.

Há poucas prioridades e definiçoes para o cuidado de enfermagem nessa área, seja por uma falta de estímulo dos profissionais; inexistência de um programa de capacitaçao, bem como a falta de uma política de recursos humanos tanto para suprir o número inadequado de profissionais quanto para capacitaçao constante e periódica1. Neste sentido, entende-se que um guideline pode contribuir para a tomada de decisao, pois se trata de um conjunto de condutas e procedimentos sistemáticos sobre a melhor conduta em situaçoes clínicas específicas2. Esta construçao é sustentada por informaçoes oriundas de pesquisas extensivas, revisoes críticas e síntese da literatura científica.

Em um hospital universitário da regiao Sul do Brasil, nao existe uma unidade especializada para tratamento do paciente adulto queimado, sendo que o cuidado de enfermagem nao é padronizado, embora exista a Sistematizaçao da Assistência de Enfermagem (SAE). O referencial teórico utilizado nesta instituiçao e adotado para o estudo foi o de Wanda de Aguiar Horta, a Teoria das Necessidades Humanas Básicas, a fim de possibilitar a adesao e facilitar a elaboraçao de açoes de enfermagem para a organizaçao e orientaçao do cuidado de enfermagem ao paciente queimado adulto3.

Destaca-se que a necessidade de padronizaçao do cuidado de enfermagem e a falta de uma unidade especializada para o tratamento do paciente adulto queimado motivaram o desenvolvimento deste trabalho.

Sendo assim, buscou-se a resposta para a questao norteadora: Quais açoes necessárias para compor um guideline de cuidados de enfermagem ao paciente adulto vítima de queimaduras identificadas pelos enfermeiros da Emergência, Centro Cirúrgico, Unidade de Terapia Intensiva e Unidade de Internaçao Cirúrgica em um hospital universitário da regiao Sul do Brasil?

Para responder a este questionamento, traçou-se como objetivo elaborar um guideline para o cuidado de enfermagem ao paciente adulto queimado a partir das açoes de enfermagem identificadas pelos enfermeiros e respaldadas na literatura científica atual.


MÉTODOS

Foram utilizadas duas estratégias. A primeira estratégia foi um estudo com abordagem qualitativa que utilizou a Pesquisa Convergente Assistencial (PCA) como método4, aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa com seres humanos, com Certificado de Apresentaçao para Apreciaçao Ética 11353812.4.0000.0121.

Nesta estratégia foram realizadas uma entrevista e dois grupos de discussao com os enfermeiros lotados na Emergência, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no Centro Cirúrgico (CC) e na Unidade de Internaçao Cirúrgica (UIC) de um hospital universitário da regiao Sul do Brasil, no período de outubro de 2012 a junho de 2013. Houve a participaçao de 43 enfermeiros (oito da UIC; dois do CC; 16 da UTI e 17 da Emergência).

A entrevista foi por meio de um roteiro com questoes sobre a experiência no cuidado ao paciente adulto queimado, que foram sistematizadas para serem debatidas em dois encontros do grupo de discussao. O primeiro encontro favoreceu a interaçao entre os enfermeiros e o levantamento das açoes de enfermagem necessárias ao cuidado com o paciente adulto queimado. Já no segundo encontro ocorreu uma apresentaçao em Power point das açoes de cuidado de enfermagem elencadas pelos enfermeiros na entrevista e no primeiro encontro para composiçao de um guideline, que foram discutidas e analisadas.

A partir desta análise, houve a organizaçao das açoes para o guideline em torno da fase clínica do paciente adulto queimado: açoes de cuidado na fase imediata, na fase intermediária e na fase tardia, englobando os contextos assistencial, educativo e gerencial.

A segunda estratégia voltou-se para a realizaçao de duas revisoes, uma de literatura e outra integrativa. A revisao de literatura, feita entre março e agosto de 2012, abordou os temas: queimaduras e fisiopatologia; classificaçoes das queimaduras; complicaçoes no grande queimado; tratamento das queimaduras; política de atençao ao paciente queimado; utilizaçao e contribuiçao do guideline, açoes de enfermagem no cuidado com queimaduras.

A revisao integrativa objetivou verificar as evidências disponíveis sobre o cuidado de enfermagem ao paciente adulto queimado, cuja busca ocorreu entre abril a junho de 2013. As bases de dados pesquisadas foram: Scientific Eletronic Library online (SCIELO); Base de Dados em Enfermagem (BDENF); Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature (CINAHL); COCHRANE; Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS); Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE) e SCOPUS.

Os critérios de inclusao foram: ser artigo científico, com resumo disponível on-line, publicados entre janeiro de 2003 a junho de 2013; contendo em seu título, resumo, descritores ou palavras chaves: guideline, guidelines, protocolo, protocolos, queimaduras, queimado, queimados, diretriz, enfermagem, guias relacionados ao cuidado de enfermagem para o paciente queimado adulto. Foram excluídos os artigos científicos publicados duplicados; nao disponíveis na íntegra; teses ou dissertaçoes; de outras áreas de conhecimento; com pacientes pediátricos e/ou sem aderência ao cuidado de enfermagem.

Para o registro dos dados, foi utilizado um roteiro que identificou a referência dos artigos, tipo de estudo, local, variáveis, delineamento da pesquisa, amostra, fonte dos dados, testes estatísticos, descobertas, recomendaçoes, pontos fortes e pontos fracos5. A análise dos dados foi realizada criticamente buscando explicar os resultados dos diferentes estudos6. Dos 338 artigos encontrados, foram selecionados 41, dos quais 19 se repetiram em uma ou mais bases, restando 22 artigos.

Destes 22 artigos, 20 nao atendiam a pergunta de pesquisa ou nao tinham seu foco em Enfermagem, ficando dois artigos para análise: "Protocolización de la atención al paciente com quemaduras eléctricas em las primeras 24 horas"7 e "Effectiveness of an early mobilization protocol in a trauma and burns intensive care unit: a retrospective cohort study"8.

Cumpridas estas etapas, o guideline foi organizado a partir das entrevistas, das discussoes em grupo, da revisao de literatura e a da revisao integrativa. As açoes de enfermagem foram distribuídas nos contextos Assistencial, Educativa e Gerencial, de acordo com a Teoria das Necessidades Humanas Básicas de Wanda de Aguiar Horta (NHB)3.

Nas açoes de enfermagem relacionadas ao Contexto Assistencial e Educativo estao as necessidades psicobiológicas, psicossociais e psicoespirituais: oxigenaçao, hidrataçao e nutriçao, eliminaçao, sono e repouso, higiene corporal e oral, integridade cutâneo-mucosa e física, mobilidade/locomoçao, regulaçao, percepçao dolorosa, terapêutica, comunicaçao e aprendizagem, gregária, religiosa e ética. No Contexto Gerencial, estao aspectos relacionados à gestao: provisao de estrutura e ambiente, isolamento, escala de enfermagem, equipe de enfermagem e multiprofissional.

Sequencialmente, as açoes foram adequadas conforme a fase da queimadura, quais sejam Fase Imediata: açoes que ocorrem nas primeiras horas da queimadura até o primeiro desbridamento da pele; Fase Intermediária: açoes que iniciam após o primeiro desbridamento até a enxertia da pele; e Fase Tardia: açoes que iniciam após a enxertia até a regeneraçao total da pele.

Por outro lado, deve-se considerar que a avaliaçao clínica do enfermeiro inclui a associaçao da classificaçao por Superfície Corporal Queimada (SCQ) com a avaliaçao de profundidade, determinando a gravidade do paciente em Pequeno (1° e 2° grau até 10% da SCQ); Médio (1° e 2° grau entre 10 e 25% da SCQ, 3° Grau até 10% da SCQ, queimadura de maos, pés ou face) e Grande Queimado (1° e 2° grau entre 26% da SCQ; 3° Grau acima de 10% da SCQ; queimaduras de períneo; queimaduras elétricas; queimaduras das vias aéreas e presença de comorbidades, tais como: lesao inalatória, politrauma, trauma cranioencefálico, choque, insuficiência renal, insuficiência cardíaca, insuficiência hepática, distúrbio de coagulaçao, embolia pulmonar, infecçao, doenças consumptivas e síndrome compartimental). Esta classificaçao varia de acordo com o paciente, devendo-se observar diversos aspectos como: idade, profundidade e localizaçao da queimadura9.


RESULTADOS

As açoes de enfermagem necessárias para compor um guideline de cuidados ao paciente queimado adulto foram embasadas nos contextos: assistencial, educacional e gerencial utilizando o raciocínio clínico para a elaboraçao e organizaçao conforme o referencial teórico das NHB, alcançando-se desta forma o objetivo estabelecido.

A elaboraçao do guideline de cuidados de enfermagem ao paciente queimado adulto nao contemplou neste momento as Necessidades Humanas Básicas de: sexualidade; amor; afeto; atençao; autoestima; autorrealizaçao; liberdade; participaçao; comunicaçao; criatividade; recreaçao; lazer e espaço. Deste modo, torna-se indispensável promover avaliaçao e atualizaçao periódicas das informaçoes pelos enfermeiros participantes da pesquisa. É possível afirmar que as açoes de enfermagem necessárias para compor um guideline de cuidados ao paciente queimado adulto nao demandam tecnologias complexas e também nao acarretam aumento de custos para a instituiçao (veja abaixo).


CONSIDERAÇOES FINAIS

A utilizaçao de guideline para o cuidado de enfermagem organiza e padroniza as açoes de cuidado de enfermagem ao paciente vítima de queimaduras. O grupo de discussao propiciou aos enfermeiros repensarem o cuidado de enfermagem, relacionando o conhecimento técnico-científico e novas tecnologias com a assistência.

A elaboraçao do guideline de forma coletiva facilitou o envolvimento dos participantes e oportunizou uma relaçao de co-responsabilidade, dimensionando o universo que engloba o cuidado de enfermagem ao paciente vítima de queimaduras.


REFERENCIAS

1. Lima Júnior EM, Novaes FN, Piccolo NS, Serra MCVF. Tratado de queimaduras no paciente agudo. 2ª ed. Sao Paulo: Editora Atheneu; 2008.

2. Santiago MA. Guidelines e Protocolos clínicos. Anais do VIII Congresso Brasileiro de Informática em Saúde. Natal, 2002. [acesso 18 Fev 2016]. Disponível em: http://www.avesta.com.br/tutorial/t10_1.pdf

3. Horta WA. Processo de enfermagem. Sao Paulo: Editora Pedagógica e Universitária; 1979.

4. Trentini M, Paim L. Pesquisa convergente-assistencial: um desenho que une o fazer e o pensar na prática assistencial em saúde-enfermagem. 2ª ed. Florianópolis: Insular; 2004.

5. Polit DF, Beck CT. Fundamentos de Pesquisa em Enfermagem: avaliaçao de evidências para a prática da enfermagem. 7. ed. Porto Alegre: Artmed; 2011. 669p.

6. Stillwell SB, Fineout-Overholt E, Melnyk BM, Williamson KM. Searching for the Evidence: Strategies to help you conduct a successful search. Am J Nurs. 2010;110(5):41-7.
[acesso 18 Fev 2016]. Disponível em: http://www.nursingcenter.com/nursingcenter_redesign/media/ebp/ajnseries/searching.pdf

7. Rodríguez Salazar OR, Fuentes Diaz Z. Protocolización de la atención al paciente con quemaduras eléctricas en las primeras 24 horas. AMC. 2011;15(3):477-86.

8. Clark DE, Lowman JD, Griffin RL, Matthews HM, Reiff DA. Effectiveness of an early mobilization protocol in a trauma and burns intensive care unit: a retrospective cohort study. Phys Ther. 2013;93(2):186-96.

9. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria GM/MS nº 1273 de 21 de novembro de 2000. Cria mecanismos para a organizaçao e implantaçao de Redes Estaduais de Assistência a Queimados. Brasília, 2000 [acesso 18 Fev 2016]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2000/prt1273_21_11_2000.html

10. Guimaraes Júnior LM. Queimaduras: tratamento clínico e cirúrgico. Rio de Janeiro: Editora Rubio; 2006.

11. Rossi LA, Dalri MCB. Atendimento de enfermagem. Lima Júnior EM, Novaes FN, Piccolo NS, Serra MCVF. Tratado de queimaduras no paciente agudo. 2ª ed. Sao Paulo: Editora Atheneu; 2008. p.201-221.

12. Enfermeiros do HU-UFSC. Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina. Entrevistas e discussoes em grupos. Florianópolis: Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina; 2012/13.

13. Sacrameno TAL. Suporte nutricional. In: Guimaraes Júnior LM. Queimaduras: tratamento clínico e cirúrgico. Rio de Janeiro: Editora Rubio; 2006. p.45-48.

14. Zaros AR. Terapia nutricional no grande queimado. In: Lima Júnior EM, Novaes FN, Piccolo NS, Serra MCVF. Tratado de queimaduras no paciente agudo. 2ª ed. Sao Paulo: Editora Atheneu; 2008. p.319-23.

15. Gomes DR, Serra MC, Guimaraes Júnior LM. Condutas atuais em queimaduras. Rio de Janeiro: Editora Revinter; 2011.

16. Brasil. Ministério da Saúde. ANVISA. Infecçoes do trato respiratório: orientaçoes para prevençao de infecçoes relacionadas à assistência à saúde. Outubro de 2009 [acesso 18 Fev 2016]. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/controle/manual_%20trato_respirat%F3rio.pdf

17. Rogenski NMB, Kurcgant P. The incidence of pressure ulcers after the implementation of a prevention protocol. Rev Lat Am Enferm. 2012;20(2):333-9.

18. Raymundo NT. Terapia ocupacional. In: Guimaraes Júnior LM. Queimaduras: tratamento clínico e cirúrgico. Rio de Janeiro: Editora Rubio; 2006. p.225-34.

19. Nazário NO, Leonardi DF. Queimaduras: atendimento pré-hospitalar. Florianópolis: Unisul; 2012.

20. HU/UFSC. Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina. Guia básico de precauçoes, isolamento e medidas de prevençao de infecçoes relacionadas à assistência à saúde. Florianópolis; 2012/2013 [acesso 18 Fev 2016]. Disponível em:
http://www.hu.ufsc.br/setores/ccih/wp-content/uploads/sites/16/2014/11/manual_isolamento_2012-13.pdf
21. Brasil. Ministério da Saúde. ANVISA. Resoluçao Nº 50/02. [acesso 24 Fev 2014]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2002/res0050_21_02_2002

22. Vituri DW, Lima SM, Kuwabara CCT, Gil RB, Évora YDM. Dimensionamento de enfermagem hospitalar: modelo OPAS/OMS. Texto Contexto Enferm. 2011;20(30):547-56.














Recebido em 19 de Abril de 2016.
Aceito em 10 de Junho de 2016.

Local de realização do trabalho: Programa de Pós-graduação Gestão do Cuidado de Enfermagem. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.


© 2020 Todos os Direitos Reservados