6
Visualizações
Acesso aberto Revisado por pares
Editorial

Editorial

Editorial

Wandir Schiozer

Com o presente número estamos finalizando 2009 e o oitavo volume da Revista Brasileira de Queimaduras. Como de costume, no fim de ano, gostamos de fazer reflexoes que nos ajudam a programar o ano vindouro.

O artigo sobre dados epidemiológicos das sequelas de queimaduras nos chama a atençao pela importância do trabalho e pela magnitude da incidência do problema. Frequentemente se discute a necessidade de melhorar o atendimento às queimaduras levando em consideraçao a fase aguda, visando à diminuiçao da mortalidade. Talvez pela sua menor urgência as sequelas sejam esquecidas, bem como o enorme custo social destas. É imperativo que se previnam as sequelas durante o tratamento da fase aguda, assim como, conforme relatado no trabalho, proceda-se às reparaçoes com precocidade, porque a espera pelo tratamento adequado pode levar a perdas funcionais muitas vezes irreparáveis.

O artigo sobre pesquisa em queimaduras traz informaçoes muito úteis e faz um interessante paralelo entre a Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ) e a International Society for Burn Injuries (ISBI) e suas respectivas revistas. Um dos aspectos relatados no trabalho é a nítida correlaçao entre desenvolvimento econômico e produçao científica. Esse dado nos leva a algumas consideraçoes que gostaria de compartilhar com os associados e colaboradores da Revista Brasileira de Queimaduras. Vários estudos afirmam que a maior produçao científica nao é apenas resultado do poder econômico, mas também um importante promotor do desenvolvimento. Pode-se afirmar que o grau de desenvolvimento de um povo pode ser mensurado pelos investimentos efetuados em pesquisa e produçao do conhecimento.

A comunidade científica brasileira enfrenta grandes desafios em decorrência da falta de recursos para a pesquisa. Entretanto, apesar das dificuldades, vários setores da Medicina no Brasil sao equivalentes aos de muitos países do primeiro mundo, onde a ciência sempre foi considerada um fator componente do desenvolvimento econômico e social.

A divulgaçao médica e científica é um importante processo de ativaçao do binômio ciência-desenvolvimento, na medida em que proporciona ao profissional o acesso ao conhecimento, que lhe permite participar mais ativamente do desenvolvimento de pesquisas científicas e tecnológicas. Entre os objetivos do periódico científico, destaca-se ainda a contribuiçao de mostrar aos dirigentes e governantes a importância de se investir em pesquisa na saúde, como uma açao propulsora do aprimoramento e desenvolvimento. A divulgaçao científica colabora para a formaçao de uma consciência crítica e contribui para a expansao do conhecimento científico além dos muros das universidades e centros de pesquisa, promovendo maior interaçao entre pesquisadores e sociedade.

O atual presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o médico Marco Antonio Zago, afirma que a produçao científica do Brasil vem crescendo de forma constante há alguns anos. Afirma também que esse incremento se deve tanto em quantidade como em qualidade e os periódicos científicos nacionais têm importante participaçao nesse processo. A Revista Brasileira de Queimaduras está inserida nesse crescimento científico brasileiro e depende de todos para se firmar cada vez mais como um importante e respeitado veículo de informaçao da área da saúde.

Feliz 2010!

Wandir Schiozer
Editor

© 2022 Todos os Direitos Reservados